Artigos

Trabalho: História e tipos de Pintura

 

Índice

Introdução. 5

Pintura. 6

História e tipos
de Pintura
. 6

Pintura
figurativa e abstrata
. 6

Técnicas e
gêneros da Pintura
. 7

A técnica da
aquarela e os materiais
. 7

Tintas. 7

Pincéis. 8

Godê. 8

Papel 8

Peso do papel 8

Esticando o papel 8

Pastel: material
e técnicas
. 9

Conclusão. 10

Referências
bibliográficas
. 11

 

 Introdução    

A pintura refere-se genericamente à
técnica de aplicar pigmento em forma pastosa, líquida ou em pó a uma
superfície, a fim de colori-la, atribuindo-lhe matizes, tons e texturas.



Na
pintura, um dos elementos fundamentais é a cor. A relação formal entre as
massas coloridas presentes em uma obra constitui sua estrutura básica, guiando
o olhar do espectador e propondo-lhe sensações de calor, frio, profundidade,
sombra, entre outros. 

É neste contexto que o presente
trabalho
é de resolução de exercícios propostos pelo docente. O presente trabalho enquadra-se no
paradigma interpretativo de carácter descritivo

Duma forma resumida, o presente trabalho aborda sequencialmente, de entre
vários, os seguintes conteúdos: conceito da pintura, História e tipos de Pintura, 

Pintura figurativa e abstrata,
Pintura figurativa e abstrata, Técnicas e gêneros da Pintura, a técnica da
aquarela e os materiais, tintas, 

godê papel, peso de papel, esticando papel,
Acrílico: 

materiais e técnicas, Pastel: material e técnicas.



É com estes temas que de forma
inteligente e cuidada, serão abordados e está estruturado da seguinte forma: introdução,
desenvolvimento e conclusão para além das referências bibliográficas.

 

Objectivo
geral

  Conhecer o elemento mais importante da
pintura.

Objectivo
especificos

 Conceituar a
pintura;

  Identificar as
diferenças entre a pintura e o desenho.

 

 Pintura

A pintura refere-se genericamente à
técnica de aplicar pigmento em forma pastosa, líquida ou em pó a uma
superfície, a fim de colori-la, atribuindo-lhe matizes, tons e texturas.

Diferencia-se do desenho pelo uso
dos pigmentos líquidos e do uso constante da cor, enquanto aquele apropria-se
principalmente de materiais secos. 

Em um sentido mais específico, é a arte de
pintar uma superfície, tais como papel, tela, ou uma parede (pintura mural ou
de afrescos). 

A pintura a óleo é considerada por muitos como um dos suportes
artísticos tradicionais mais importantes; grandes obras de arte, tais como a
Mona Lisa, são pinturas a óleo; com o desenvolvimento tecnológico dos
materiais, outras técnicas tornaram-se igualmente importantes como, por
exemplo, a tinta acrílica.

Na pintura, um dos elementos
fundamentais é a cor. A relação formal entre as massas coloridas presentes em
uma obra constitui sua estrutura básica, guiando o olhar do espectador e
propondo-lhe sensações de calor, frio, profundidade, sombra, entre outros. 

Estas relações estão implícitas na maior parte das obras da História da Arte e
sua explicitação foi uma bandeira dos pintores abstratos ou não figurativos. A
cor é considerada por muitos artistas como a base da imagem.

 

História
e tipos de Pintura

A pintura acompanha o ser humano
por toda sua história. Ainda que durante o período grego clássico não se tenha
desenvolvido tanto quanto a escultura, a Pintura foi uma das principais formas
de representação dos povos medievais, do Renascimento até o século XX. 

A partir
da revolução da arte moderna e das novas tecnologias, os pintores adaptaram
técnicas tradicionais ou as abandonaram, criando novas formas de representação
e expressão visual. 

Quando o artista pretende pintar num quadro uma realidade
que é familiar, natural e sensível ou interna, a pintura é essencialmente a
representação pictórica de um tema: é uma pintura figurativa.

BAIXE TAMBEM:  Sistema Linfático do Homem

A abstração pode
ser, porém, construída, manifestando-se em uma realidade concreta porém
artificial. Esta foi a abordagem dos construtivistas e de movimentos similares.

 

Pintura figurativa e abstrata

Quando o artista pretende pintar
num quadro uma realidade que é familiar, natural e sensível ou interna, a
pintura é essencialmente a representação pictórica de um tema: é uma pintura
figurativa. 

O tema pode ser uma paisagem (natural ou imaginada), uma natureza
morta, uma cena mitológica ou cotidiana, mas independente disto a pintura
manifestar-se-á como um conjunto de cores e luz.

Esta foi praticamente a única
abordagem dada ao problema em toda a arte ocidental até meados do início do
século XX. 

A partir das pesquisas de Paul Cézanne, os artistas começaram a
perceber que era possível lidar com realidades que não necessariamente as externas,
dialogando com características dos elementos que são próprios da pintura, como
a cor, a luz e o desenho. 

Com o aprofundamento destas pesquisas, Wassily
Kandinsky chegou

à abstração total em 1917. A
pintura abstrata não procura retratar objetos ou paisagens, pois está inserida
em uma realidade própria.

 
Técnicas
e gêneros da Pintura

Toda pintura é formada por um meio
líquido, chamado médium ou Substâncias aglutinante, que tem o poder de fixar os
pigmentos (meio sólido e indivisível) sobre um suporte. 

A escolha dos materiais
e técnica adequadas está diretamente ligada ao resultado desejado para o
trabalho e como se pretende que ele seja entendido.

O suporte mais comum é a
tela (normalmente feita com um tecido tencionado sobre um chassis de madeira),
embora durante a Idade Média e o Renascimento o afresco tenha tido mais
importância.

As técnicas mais conhecidas são: a pintura a óleo, a tinta
acrílica, o guache, a aquarela, a caseína, a resina alquídica, o afresco, a
encáustica e a têmpera de ovo. 

Os géneros de pintura mais conhecidos são:
auto-retrato, ícone, natureza morta, paisagem, pintura de género e retratos.

 
A
técnica da aquarela e os materiais

Aquarela é o nome da mistura de
pigmento colorido com aglutinante e também a técnica em que se emprega essa
tinta diluída em água. Ao secar, a aquarela perde a metade de seu colorido.

Por
isso, um esboço que pareça vivo se tornará pálido e esmaecido quando acabado. A
aquarela apresenta um bonito efeito de transparência porque nela se utiliza
pequena quantidade de cor diluída em muita água.

 

Tintas

As tintas são fabricadas com
pigmento em pó e goma-arábica diluídos em água. As pastilhas custam menos do
que os tubos. 

Para conservá-las, é necessário cobrir o com um pano húmido, pois
elas podem ressecar. As tintas em tubo têm brilho mais intenso e não desgastam
tanto o pincel (não é preciso esfregá-lo, como nas pastilhas, para se apanhar a
tinta).

 

 Pincéis

Não faça economia na hora da
compra: pincéis são equipamentos importantes na aquarela. No início, bastam
três ou quatro numa seleção que inclua pincéis chatos e redondos, grandes e
pequenos. 

Os de melhor qualidade são os do tipo pêlo de marta. Mas pode-se usar
muito bem os mistos.

 

Godê

Para trabalhar com aquarela você
precisará de um godê uma superfície branca, à prova de água, onde se misturam
as cores. Para esse fim, pode-se aproveitar as tampas dos estojos ou improvisar
alguns pratos. Pêlo de marta e de petit- gris (esquilo), ou marta com pêlo de
orelha de boi.

 

 Papel

Há vários tipos de papel próprios
para aquarela. Você pode comprá-los em folhas avulsas ou em blocos (que são
mais econômicos). O papel varia em textura da superfície (porosidade), em peso
(gramatura), dependendo de sua espessura, e em tamanho.

Comece a pintar em
papel comum, desde que não muito fino ou brilhante. Mas o papel escolhido
deverá ser sempre branco ou amarelado.

 

Peso do papel

Quanto mais fino o papel, maior sua
tendência a enrugar-se quando se pinta uma aquarela. A espessura do papel é
definida por seu peso (gramatura). Um papel de 285 g, por exemplo, é aquele
cujo metro quadrado da folha tenha 285 g de peso.

 

Esticando o papel

Tenha certeza de que a superfície
do papel esteja plana enquanto ele seca. Caso contrário, a água escorrerá,
acumulando-se em um dos lados da folha de papel e provocando secagem desigual. 

BAIXE TAMBEM:  A história da escultura moçambicana

As tintas são fabricadas com pigmento em pó e goma-arábica diluídos e Os
pincéis são equipamentos importantes na aquarela. 

No início, bastam três ou
quatro numa seleção que inclua pincéis chatos e redondos, grandes e pequenos. 

Os de melhor qualidade são os do tipo pêlo de marta. Para trabalhar com
aquarela você precisará de um godê uma superfície branca, à prova de água, onde
se misturam as cores. Você necessitará ainda de dois recipientes de vidro para
água. 

Um deles para limpar pincéis; o outro, mantido mais limpo, para diluir as
tintas.

Há vários tipos de papel próprios
para aquarela. Você pode comprá-los em folhas avulsas ou em blocos (que são
mais econômicos).

O papel varia em textura da superfície (porosidade), em peso
(gramatura), dependendo de sua espessura, e em tamanho. Há três tipos de
textura: áspera, com porosidade acentuada, média e lisam água.

 O modo como se aplica a tinta afeta
profundamente o caráter de uma pintura. Por isso, a pincelada é considerada a
essência da aquarela. Os pincéis possuem diferentes comprimentos de cerdas e
isso influi no tipo da pincelada produzida


 Acrílico:
materiais e técnicas

O acrílico é uma tinta sintética
solúvel em água que pode ser usada em camadas espessas ou finas, permitindo ao
artista combinar as técnicas da pintura a óleo e da aquarela. 

A tinta acrílica
possui uma secagem muito rápida, em oposição à tinta de óleo que chega a
demorar meses para secar completamente em trabalhos com camadas espessas,
possui um odor menos intenso e não causa tantos danos a saúde por não possuir
metais pesados, 

Como o cobalto da pintura a óleo. As tintas acrílicas podem ser
empregadas em quase tudo papel, pranchas de tela, painéis, telas. Da mesma
forma que na pintura a óleo, é importante planejar cada mistura antes de
colocar o pincel nas tintas acrílicas da paleta.


 
Pastel: material e técnicas

A palavra ‘’pastel’’ passou à linguagem
cotidiana como sinônimo de cor clara e suave. Mas, na verdade, a pintura com
pastéis pode ser muito ousada e forte. Esse material permite incontáveis
possibilidades artísticas, e pode ser eficientemente usado para esboços rápidos
ou para trabalhos mais acabados.

Como o pastel é aplicado diretamente sobre o
papel, presta-se a um tratamento muito especial, que resulta na textura
aveludada tão apreciada pelos aficionados da pintura. 

Tais qualidades fazem
dele um material particularmente adequado à realização de retratos, embora
muitos artistas o utilizem também em paisagens e natureza amortas.

 
Conclusão

A
pintura refere-se
genericamente à técnica de aplicar pigmento em forma pastosa, líquida ou em pó
a uma superfície, a fim de colori-la, atribuindo-lhe matizes, tons e texturas.

Diferencia-se
do desenho pelo uso dos pigmentos líquidos e do uso constante da cor, enquanto
aquele apropria-se principalmente de materiais secos.

Na
pintura, um dos elementos fundamentais é a cor. A relação formal entre as
massas coloridas presentes em uma obra constitui sua estrutura básica, guiando
o olhar do espectador e propondo-lhe sensações de calor, frio, profundidade,
sombra, entre outros. 

A pintura acompanha o ser humano por toda sua história.
Ainda que durante o período grego clássico não se tenha desenvolvido tanto
quanto a escultura, a Pintura foi uma das principais formas de representação
dos povos medievais, do Renascimento até o século XX.

Quando
o artista pretende pintar num quadro uma realidade que é familiar, natural e
sensível ou interna, a pintura é essencialmente a representação pictórica de um
tema: é uma pintura figurativa. 

Toda pintura é formada por um meio líquido,
chamado médium ou Substâncias aglutinante, que tem o poder de fixar os
pigmentos (meio sólido e indivisível) sobre um suporte. 

Aquarela é o nome da
mistura de pigmento colorido com aglutinante e também a técnica em que se
emprega essa tinta diluída em água.As tintas são fabricadas com pigmento em pó
e goma-arábica diluídos em água.

 

Trabalho: História e tipos de Pintura


Referências bibliográficas

 

LICHTENSTEIN,
Jacqueline; A pintura – textos essenciais; São Paulo: Editora 34, 14
volumes; 2004; ISBN 85-7326-292-3

 ROCHA,
Cassia; AMARANTES, Regina; Curso de desenho e pintura – Pintura a óleo;
São Paulo: Globo Editora, Volume 1; 1985

 ROCHA,
Cassia; AMARANTES, Regina; Curso de desenho e pintura – Desenho a lápis;
São Paulo: Globo
Editora, Volume 4; 1985



 

Leave a Response

error: Content is protected !!