ArtigosEnsino superior

Questões resolvidas da cadeira de Geografia de Moçambique


Introdução:

A
Cadeira de Geografia de Moçambique da a conhecer os principais aspectos físicos
de Moçambique, sua história geológica e geomorfológica, bem como as principais transformações
que ocorreram ao longo do tempo os quais exerceram as suas influências para as
actuais configurações da Geologia e do relevo de Moçambique. 



O presente
trabalho ira dar resposta as  seguintes questões colocadas:

1. Existirá diferença alguma entre factores e elementos do clima? Defenda.

2.   Quais
os critérios usados na divisão do clima em 5 tipos.

3.     
Escolha
um dos tipos e caracterize.

4. Explique
como que surgem os ventos alísios em Moçambique?

5. Fale das províncias e as principais
cidades localizadas junto á costa
.

6.   Qual
é a importância dos mangais.

7. Mencione as espécies marinhas ameaçadas.

8.   Na
sua opinião quais as medidas que devem ser tomadas para proteger as espécies
marinhas ameaçadas.

9.   Diferencie
a ilha do arquipélago.

10.  Que importância têm as ilhas?

11.  Qual é a fonte da poluição das
águas do litoral moçambicano.




Trabalho feito da cadeira de Geografia de Mocambique


1.  Diferença
entre factores e elementos do clima

Existe sim uma mera diferença entre
factores climáticos e elementos climáticos, oque se verifica e o seguinte:

Os factores climáticos são as
condições que determinam ou interferem nos elementos climáticos e os climas
deles resultantes. São eles que ajudam a explicar o porque de uma região ser
quente e húmida e outra ser fria e seca.

 Enquanto os elementos climáticos são
grandezas atmosféricas que podem ser medidas ou instantaneamente mensuradas.
São elementos atmosféricos que variam no tempo e espaço e que se configuram
como elementos básicos pra se definir o clima de uma determinada região.


2.     
Os
critérios usados na divisão do clima em 5 tipos

Os critérios usados são baseados na classificação climática que é
uma
 tentativa de reunir o maior  número de elementos possíveis que possam
caracterizar os diferentes climas existentes em grupos distantes como, por
exemplo:

 Temperatura, precipitação, radiação e vento.

Estabeleceu-se assim cinco tipos
climáticos principais, designados pelas letras maiúsculas:


·        
A – Climas tropicais chuvosos
·        
B – Climas secos
  C – Climas temperados chuvosos
e moderadamente quentes;


        D- Climas frios com neve-floresta
        E- Climas polares

3.     
Climas frios com neve-floresta

D – com temperatura média abaixo de -3ºC o mês mais frio e temperatura
média maior do que 10ºC para o mês mais quente.


4.     
Os
ventos alísios em Moçambique

Moçambique faz parte da zona
Intertropical, das altas pressões tropicais, onde se situa a zona de
divergência, o ar movimenta – se para as baixas pressões equatoriais, que é a
zona de convergência; os ventos constantes que ai se formam são os ventos
alíseos.

Os ventos alísios que influenciam o
clima de Moçambique partem de sudeste e ao logo do seu percurso o ar fica
carregado de humidade.



5.     
As
províncias e as principais cidades localizadas junto á costa


Província de Nampula: cidade de Angoche,
Cidade de Nacala;

Província de cabo delgado: cidade de Pemba.

Província de Maputo;

Província de Sofala: cidade da beira;

Província de Inhambane: cidade de
Inhambane;

Província da Zambézia.


6. A importância dos mangais:


  •    O mangal tem um papel importante na
    prevenção da erosão da costa e das margens dos rios e na redução das cheias,
    forma ainda uma barreira natural a penetração da água salgada do mar nas terras
    cultiváveis mais próximas.

  •  Serve para reprodução de espécies marinhas,
    porque e la onde vivem os camarões juvenis, muitos caranguejos, moluscos e
    alguns peixes.

  •  Fonte de madeira para construção de
    barcos, travessas, postes para o transporte de energia elétrica, suporte de
    redes de pesca.
     


7.
As espécies marinhas ameaçadas

Tartaruga marinha, baleias, golfinhos, camarão,
tubarão, dugongo, foca, leão-marinho, atum-rabilho.


8.     
As
medidas que devem ser tomadas para proteger as espécies marinhas ameaçadas


·        👉 O controlo da poluição;

·    👉 O restabelecimento do regime hidrológico
natural e da comunidade longitudinal dos rios;
· 
 👉 Conservação de outras zonas húmidas,
como charcos, lagoas, pauis e galerias ripícolas.

     👉Fiscalização das actividades pesqueiras;


 👉Outra medida importante é a implementação de uma política de
sensibilização ambiental no sentido de estimular o interesse a população pela
conservação patrimonial natural.



9. Diferença entre a ilha do
arquipélago.

A
diferença existente entre ilha do arquipélago é: 



ilha é um prolongamento do
relevo estando numa depressão absoluta, preenchida por água em toda sua volta,
isto e, popularmente falando, entendemos que ilha e uma área cercada de água
por todos os lados, enquanto arquipélago é um conjunto de ilhas próximas uma
das outras. 

Os arquipélagos tem sempre em geral as mesmas origens. Este
conjunto de ilhas tem estrutura geológica idêntica e podem ser vulcânicas,
coralineas ou continentais.

10. Importância das ilhas

Quanto
á importância devemos assinalar que várias delas alcançaram posição de destaque
que se evidencia ora pela situação geográfica estratégica, ora pela abundância
de recursos naturais marinhos, utilizá – los racionalmente, procurando obter o
máximo de aproveitamento para o maior número de pessoas, contribuindo para o
desenvolvimento sócio – económico, eis exemplos de algumas actividades tais
como recreativas, pescatórias, turistícas,


11.   A fonte da poluição das águas do litoral
moçambicano
 

As principais fontes de poluição
são os efluentes urbanos, resíduos sólidos, fecalismo a céu aberto e os
derrames de produtos derivados de hidrocarbonetos associados a atividade
portuária.

 Os derrames de combustíveis são frequentes nos portos, e suspeita-se
que ocorram também na plataforma continental onde operam os barcos de pesca. 

Não parece existir serviço sistematizado de recolha e deposição de óleos usados
e resíduos sólidos dos barcos nos portos, o que pode concorrer para o
agravamento do problema de poluição. 

  

12.   O potencial hidroelétrico dos rios da região
centro:

O
potencial hidroelétrico de Moçambique mostra que a região centro e a zona com
maior potencial hidroelétrico devido a conjugação do caudal e morfologia do
terreno mais favorável, identificando-se locais com maior queda. 

No entanto o
maior potencial hidroelétrico esta ao longo do rio Zambeze, onde se registam os
caudais mais elevados.



13.  As principais características dos
rios que correm na região norte do país são:

·        
A maioria das nascentes são tem a sua
bacia hidrográfica totalmente em Moçambique.
·        
São periódicos como o das chuvas que os
alimentam.

·        
As oscilações do caudal dos rios ao
longo do ano são condicionadas, factores climáticos, registrando, os caudais
máximos na época das chuvas e mínimos no estacão seca.

·     Alguns rios tem um os seus leitos são
encaixados em vales profundos de tipo (V) e se apresentam rápidos, em quedas/
cascatas, o que lhe reduz a navegabilidade.


Conclusão:

Depois de ter resolução das
questões colocadas na cadeira de geografia de Moçambique conclui-se que: 



Existe sim uma mera diferença entre factores climáticos e elementos climáticos, oque
se verifica e o seguinte, os factores climáticos são as condições que
determinam ou interferem nos elementos climáticos e os climas deles
resultantes. 

São eles que ajudam a explicar o porque de uma região ser quente e
húmida e outra ser fria e seca. 

Enquanto os elementos climáticos são grandezas
atmosféricas que podem ser medidas ou instantaneamente mensuradas. São
elementos atmosféricos que variam no tempo e espaço e que se configuram como
elementos básicos pra se definir o clima de uma determinada região. 

As espécies marinhas ameaçadas em
Moçambique são, tartaruga marinha, baleias, golfinhos, camarão, tubarão,
dugongo, foca, leão-marinho, atum-rabilho.



Bibliografia:
OMBE, Zacarias. A. FUNGULANE, Alberto, Alguns Aspectos da Historia da Conservação da Natureza em Moçambique, S/e, Editora Escolar, Moçambique, 1996; 


TORCATO, Maria de Lurdes, Moçambique Contra QueimadasEditora  Setembro/Dezembro 2001;                                

Ayoade, J. O. 1996. Introdução á climatologia para os trópicos.
Rio de Janeiro, Bertrand 
Brasil.
Vunjura, Manuel. Geografia 8ª Classe. Alcance. Maputo 2010. 

Leave a Response

error: Content is protected !!